segunda-feira, 21 de novembro de 2011

A diferença entre o crente e o descrente


Salmo 1

INTRODUÇÃO: Toda humanidade, em todas as épocas, está dividida, entre eleitos e não eleitos. Aqueles que são destinados a glória e aqueles que estão destinados a perdição. Quanto a isso, chamamos de dupla predestinação, ou seja, Deus tem planos específicos para toda humanidade, mas ela está dividida e não compartilha um destino único.
Não podemos afirmar que aqueles que não são crentes hoje, estão nesse grupo para a destinação a danação, mas é possível afirmar que até serem chamados, eles ainda se encontram nesta divisão inevitavelmente.
A autoria desse salmo é credita a Esdras por alguns, Spurgeon o chama de prefácio de todos os salmos, enfatizando a busca pela Leio do Senhor. O fato é que este salmo é extremamente didático naquilo que o Senhor estabelece em sua graça para todos os homens. Observemos o seguinte título: “A diferença entre o crente e o descrente”. Observemos como isto acontece:

I- São classes distintas de pessoas (v.1)
Apesar de vivermos no mesmo mundo, não temos o mesmo destino, nem tão pouco nos agradamos nas mesmas coisas.
a)   Os conselhos do mundo – O mundo e seus habitantes são regidos por valores e conceitos diferentes. Por serem inclinados ao mal desde o nascimento, buscam o que é contrário a Lei de Deus. Tentam perverter os crentes a caírem nas suas ciladas, mas o fiel se recusa, por amor ao Senhor, a atender a estes conselhos.
b)   O caminho dos pecadores – O crente não permanece nele, ou seja, não busca a vida de pecado e desobediência.
c)    A roda dos escarnecedores – É amotinamento para a blasfêmia promovido pelos ímpios e descrentes. O fiel, a fim de agradar a Deus, se desvia desse ajuntamento.

II- O crente tem prazer no serviço sagrado (v.2)
a)   O prazer na Lei de Deus – Como nascido de novo, ele busca os hábitos de seu novo nascimento. Aqui a ênfase recai sobre o estudo da Lei e a busca pelos exercícios religiosos. Com o abandono da pratica pecaminosa, o crente se reveste de obras piedosas.
b)   Dia e noite – Esta prática não é algo meramente institucional, mas algo enraizado na própria alma do crente, ou seja, faz parte de sua nova natureza, por isso o interesse em saber dessa Lei em todas as horas de sua vida.

III- O descrente é fragilizado e objeto de ira (vv.4-5)
a)   A fragilidade do homem sem Deus (v.4) – Apesar da aparência opulenta e soberba do homem arrogante, ele não passa de alguém impulsionado por valores transitórios. Isso fica claro aqui. Eles serão dispersos pelo vento de Deus, não prevalecem, por não estarem firmados no Senhor.
b)   Eles são objetos da ira de Deus (v.5) – Este salmo demonstra o final eterno dos ímpios. Existe aqui uma profecia a respeito daqueles que se negarem a receber a Cristo como Senhor. Eles não permanecerão no juízo, não porque fugiram dele, mas porque não suportaram a sentença dada a eles. Depois, não estarão na assembleia dos justos, ou seja, não verão o gozo dos servos benditos do Pai, não avistarão a cidade de Deus, o louvor daquele lugar, nem tão pouco vivenciarão a santidade e a vida eterna com Cristo.

IV- Eles tem destinos distintos (v.6)
Por fim, o salmista conclui com o seguinte enfoque:
a)   O Senhor conhece os Seus – O texto enfatiza que o nosso Deus conhece o “caminho dos justos”, isso não é outra coisa, senão o conhecimento daquilo que eles são na Sua santa presença. Todos os justos estão diante dos olhos amorosos de Deus. De uma maneira especial e graciosa.
b)   Os ímpios perecem – Em caminhos distintos, o descrente não será bem sucedido. Perecerá todo intento vil e maligno daqueles que desprezam o Senhor e Sua igreja. Aqueles que se opõem ao reto Caminho, verão seus propósito se esfarelando, pois o Senhor não os aprova.

Conclusão: Precisamos saber que não estamos vivendo igualmente com todos os homens. Em algumas coisas podemos nos parecer com eles, porém, a nossa forma de vida é totalmente distinta daqueles. É preciso achegar-se a Cristo, para que possamos receber o perdão dos nossos pecados. É preciso arrependimento e novas obras, obras que glorifiquem a Deus e demonstre um caráter diferente. Apenas assim, seremos bem aventurados, hoje e na eternidade, amém.

2 comentários:

  1. Parabéns pela mensagem!!!forte abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, irmão. Como estão as coisas? Espero que ótimas, com a graça de Deus. Abraço, fique sempre a vontade por aqui.

    ResponderExcluir